sexta-feira, 23 de março de 2012

Hublot coloca o mecanismo de Antikythera em relógio de pulso para leilão.


A Hublot resgatou uma maravilha datada de 87 a.C para produzir a sua nova edição especial. Mas antes de falar sobre o modelo, vamos falar sobre a história do mecanismo que inspirou a Hublot na produção do Hublot Antikythera.

O mecanismo Antikythera é um artefato que se acredita tratar de um antigo mecanismo de auxilio à navegação, datado de 87 a.C., que foi resgatado em 1901 junto com várias estatuas a aproximadamente 43 metros de profundidade na costa da ilha grega de Antikythera, que fica entre as ilhas de Citera e Creta. Quando o mecanismo foi resgatado ele já estava muito corroido e incrustado e acabou passando despercebido entre algumas estatuas, mas em 1902, o arqueólogo Spyridon Stais notou que uma das peças de pedra possuia uma roda de engrenagem e começou a examinar o mecanismo e descobriu várias rodas denteadas de diferentes tamanhos com dentes triangulares cortados de forma precisa, muito parecido com os mecanismos dos relógios que hoje conhecemos bem. Porém, os relógios mecânicos foram desenvolvidos muito tempo depois. Em 1958, o físico Derek J. de Solla Price, chegou a conclusão de que o mecanismo seria capaz de indicar eventos astronômicos passados e futuros, como por exemplo o dia da próxima lua cheia. Ele constatou que as inscrições do mostrador se referiam a divisões do calendário com dias, meses e signos do zodíaco. A roda denteada maior representava o movimento do sol e uma volta completa representava um ano solar.
Já a outra engrenagem que era conectada a primeira representava o movimento da Lua e a proporção de números de dentes nas duas rodas deveriam refletir o conceito dos gregos antigos sobre as órbitas lunares. O mecanismo era composto por trinta engrenagens de bronze, feitas à mão e organizadas de modo a representar a órbita da lua e de outros planetas do sistema solar e era protegido por uma caixa de madeira. O artefato é considerado notável pelos físicos e historiadores, pois utilizava no século I a.C, uma engrenagem diferenciada que se acreditava ter sido inventada somente no século XVI e pelo nível de miniaturização e complexidade que são comparados à de um relógio produzido apenas no século XVIII.

A Hublot fez um trabalho fantástico, trazendo de volta à vida e comprimindo em um relógio de pulso este mecanismo mítico e cheio de história. Foram produzidos somente 4 peças e apenas uma será leiloada e o modelo terá todos os sistemas de engrenagens planetárias elípticas e a sua renda será revertida ao Museu Arqueológico de Atenas, onde a peça original esta exposta. As outras três unidades ficarão expostas em alguns museus da Europa.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: