quinta-feira, 15 de março de 2012

Bugatti Veyron 16.4 Grand Sport Vitesse é o roadster mais rápido já produzido.

O Bugatti Veyron 16.4 Grand Sport Vitesse já pode se gabar e falar que é o roadster mais rápido já produzido e tudo isso graças ao seu motor com 1.200 cavalos de potência. Este modelo é uma combinação do Grand Sport e do Super Sport com um motor W16 de 7,9 litros com quatro turbos compressores maiores e novos intercooler e tração nas quatro rodas. O modelo atinge a velocidade máxima de 410km/h; os testes de velocidade foram feitos em pistas fechadas e por motivo de segurança a montadora limitou o modelo eletronicamente a 375km/h, mas isso não tirou o seu fôlego e ele ainda atinges os 100km/h em apenas 2,6 segundos. Números impressionantes para um conversível, que teve todas as dinâmicas e parâmetros aerodinâmicos estudados para a viabilidade do projeto.

Todos os componentes de transmissão foram reforçados, a caixa de câmbio de sete velocidades com embreagem dupla (DSG) foi adaptada para as novas exigências do modelo; o chassi foi reconfigurado e ganhou amortecedores de resposta rápida (muito utilizado em carros no automobilismo) e o controle do carro foi melhorado, o deslocamento do corpo e arremesso durante uma forte aceleração ou frenagem são quase imperceptíveis. Foram adicionadas entradas de ar adicional e maiores aos freios para dar conta da potência do motor que ficou ainda maior e complementam o sistema de acionamento inteligente em todas as rodas que ganharam pneus de 20 polegadas "Vitesse" em rodas de liga leve.

A fibra de carbono é um dos elementos principais no modelo que ganhou uma carroceria monocoque que permite uma rigidez torcional equilibrada e segura e ele também ganhou versões em revestimento de carbono visível. Um spoiler de tejadilho foi colocado para reduzir o ruído do vento e as batidas no interior e uma windbreak foi desenvolvida especialmente para o roadster e é armazenada compactamente no porta malas quando não está em uso, este conjunto permite uma condução open-top extremamente confortável mesmo aos 200km/h.

No interior, a fibra de carbono também esta presente na extensão do console central, uma capa com o logotipo EB na guarnição de couro traseira entre os encostos dos bancos, nas inserções da porta e guarnição ao lado do painel de instrumentos. As peças de acabamento bicolor preto tembém são novas na versão e ainda conta com um projeto especial de assentos. Os dois tons de capas de couro são reforçados com costuras contrastantes e destaca também o apoio de braço entre os assentos que aparecem sem o quilting típico. No console ainda encontramos os sistemas de retenção, o botão de inicio e bloqueio de estacionamento iluminados, shift-up de informação e o medidor de energia que agora atinge os 1.200 cv.

A versão das fotas é a "Jet Grey" e é a mais barata. Em vez de duas cores, o modelo abusa da interação entre áreas brilhantes (tampa, teto e tomadas de ar) e superfícies foscas e elementos (partes laterais, retrovisores e puxadores das portas). A grade do radiador e jantes são pintados de preto. O laranja aparece na asa traseira e coincide com o "Tangerine" que a Bugatti usou nos assentos, tapetes, lado inferior do painel, portas, costura contrastante no console e o rótulo Vitesse costurado no banco. Todas as superfícies e os encaixes em fibra de carbono são pretos. O modelo será vendido por 1,75 milhões de euros. Com o seu design arrojado, a sua mecânica forte, o seu perfil aerodinâmico agressivo e os seus cavalos para dar e vender, faz do Bugatti Veyron 16.4 Grand Sport Vitesse o roadster mais cobiçado do planeta.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: